2 – Passeando pela Europa 2010

35 dias, 19.000km, 14 países
Viagem a solo por Espanha, França, Andorra, Itália, Eslovénia, Croácia, Hungria, Eslováquia, Polónia, Alemanha, República Checa, Áustria, Suíça e Liechtenstein.

************************** ************************
Crónica em tempo real!

_____________________________________
14 Ago 2010
_______________________

Hoje é o meu dia de pausa (dia como quem diz, pois já conduzi até aqui e foram uns km desde Cracóvia até Varsóvia!), mas como eu dizia, como estou em pausa é para pôr a escrita em dia e foi bem escolhido o momento de pausa, porque a pousada é um espectáculo, a sala de estar muito confortável, com direito a bar com DJ mesmo ali ao lado e a net rápida e constante!

Que mais posso desejar para um local de pausa?!

Então estava eu no dia 11 de Agosto! Depois de dormir como um anjo, fui catar a cidade de Budapeste. As coisas que eu sei sobre a cidade! O rio que a atravessa é o famoso Danúbio, e a cidade é a junção de 3 cidades: Buda e Obuda na margem direita do rio, com Peste, do lado esquerdo.

Tem imensas pontes, já não sei quantas contei, eles disseram que são 10!! Mas a mais famosa é a Ponte das Correntes, a Széchenyi Lánchíd.

Cá está o Danúbio com a catedral ao fundo (bem sujo o rio por sinal! À medida que eu ía caminhando pela sua margem, uma garrafa de 7up acompanhava-me a aboiar na corrente do rio! Inspirador e romântico, a fazer conjunto com a cor amarelada da água)…

O parlamento, um edifício imponente, mais recente do que parece (é do sec, XIX) dizem que é maior parlamento da Europa!

Depois fui até ao castelo, que é mais um palácio, onde viveram os reis lá da terra, e aí está a vantagem de se estar de mota, além de se ir rapidamente onde se quer, deixam-nos passar por todo o lado, mesmo quando os carros não podem ou têm de pagar para o fazer!

Aquela zona, que é a mesma da catedral é de trânsito condicionado, quem quer entrar com o carro paga portagem! As motas não! eheheheh passam simplesmente pelo lado da barreira!

Claro que isso não inclui o direito de levar a mota por qualquer lado… eu é que sou muito distraída e meti-a por todos os quelhos que pude até um policia me vir dizer que não podia andar por ali!

Valeu a pena o risco, estava ainda cansada da caminhada do dia anterior! E assim vi tudo o que quis lá de cima!

O parlamento lá ao fundo é grandioso!

E a ponte, espantosa vista cá de cima!

A catedral tem o telhado que parece tricotado, é muito comum por lá!

é muito bonita por dentro!

de lá pode-se ver o rio, atreves das arcadas!

A zona do Castelo e da Catedral é muito bonita, com casas muito pitorescas. Mais uma vez, aqui também, a gente compra o que quer comer e depois vai para uma esplanada e pede o café para acompanhar!!

Despedi-me da cidade e do rio e segui o meu caminho para Bratislava

Desta vez calmamente e sem auto-estradas, apenas caminhos e terrinhas bem fofinhas!

Com direito a lagos e a castelos

e barquinhos de papel!

E encontrei mais uma placa que procurava!

Para chegar a Bratislava!

Almocei às 4h da tarde, mesmo ao ladinho do castelo! E pelo que me pareceu, nada caro! É que quando começo a conhecer o dinheiro vou embora e tenho de conhecer outro! Mas não foi caro e estava muito bom!

Com a cidade aos meus pés!

Depois de comer então é que fui ver a cidade, é que motor sem combustível não marcha!

Estava cheia de gente! E de calor também!…

Encontrei a escultura mais famosa lá do sítio!

Sempre que via imagens desta escultura perguntava-me se ninguém tropeçaria nela nunca! Lá é que vi que tem uma placa de aviso e ao mesmo tempo de título da obra! Genial!

E o povo não a deixa sozinha um minuto! Até um “mimo” ou “homem estátua” ou lá o que é, de muito pouca qualidade, diga-se, se aproveita da fama da obra e se põe ali ao lado a fazer figuras tristes!

De resto é uma cidade “mimi”!

_____________________________________
15 Ago 2010
_____________________________________

De Bratislava parti para Cracóvia, um dos pontos altos da minha viagem.

Sempre por estradas nacionais ou secundárias, reparei num pormenor que se veio a repetir em quase todo o lado, inclusive depois de entrar na Polónia!

Todas as linhas e guias das estradas são texturadas! Quem nunca stressou, no nosso país por deslizar na tinta escorregadia das pinturas das nossas estradas? Pois, por cá, pode-se stressar por outros motivos, mas por esse não!

qualquer sitio é bom para se tomar um sumo… melhor dizendo, um litro de sumo! É que o calor aperta por aqui!

As minhas mãos estão pretas e brancas do sol!

terrinhas simpáticas, com as suas muitas igrejas com chapeuzinhos nas torres!

e cheguei à Polónia! Nada de fronteira, apenas as placas!

Mais uma vez nada muda da paisagem e o paraíso continua!

As referências ao papa sucedem-se sem que eu entenda o que dizem! Julgo que se referem à visita recente do papa à Polónia, mais especificamente a Auschwitz!

E lá cheguei a Cravóvia!

A praça Rynek Glówny, a principal de Cracóvia e a maior praça medieval da Europa

Como seu Hard-Rock Café num edifício bem antigo e bonito!

Noivos brincam pela rua à porta do castelo numa simulação teatral de idade média!

A catedral (em obras…)

E o pôr-do-sol lá de cima!

jantei numa esplanada da praça principal e fui descansar, o dia seguinte ia ser emocionalmente pesado…

******************************
******************************

Auschwitz foi a experiência esperada há muito tempo e uma das razões impulsionadoras desta viagem…

Não sou uma fanática pela 2ª guerra, nem por guerra nenhuma, mas as atrocidades praticadas nesta época mereceram sempre todo o meu respeito e espanto, pela dimensão que a estupidez humana pode alcançar…

No ano passado visitei o local do desembarque na Normandia, bem como grande parte das catedrais e cidades que foram gravemente danificadas ou mesmo arrasadas, como a cidade de Colónia na Alemanha, mas nada me chocou tanto como Auschwitz…

Como me dizia o meu homem por sms, estar lá e ver na televisão, são realidades diferentes, foi um dia de reflexão…

“O trabalho liberta” – inscrição irónica sobre a entrada do campo de extermínio…

Inicialmente o local foi escolhido aproveitando as instalações do exército Polaco, já existentes aquando da ocupação da Polónia e seria apenas para prender os intelectuais do país ocupado, pois são sempre os mais perigosos para um sistema ditatorial.

Assim os primeiros “habitantes de Auschwitz foram padres católicos, advogados, artistas, arquitectos e gente letrada polaca.

Estas pessoas foram fotografadas e “catalogadas” e por aí se sabe quem eram, mas logo as SS perceberam que não valeria a pena esse cuidado pois eles eram tão mal tratados que emagreciam estupidamente e as fotos rapidamente deixavam de ter a ver com os donos… depois duravam tão pouco, 3 ou 4 meses, às vezes um ano… que não valia o trabalho!

Aqui eram julgados os “criminosos” polacos da zona e fuzilados. Claro que o julgamento era uma farsa…

se não eram fuzilados era torturados nos troncos, de onde saiam com os músculos destruídos.

Depois começou a ampliação do campo, a recolha de judeus por todo o lado e esses nem catalogados eram, alguns nem chegavam a fazer parte da população do campo, entravam directamente para as câmaras de gás…

Câmara de gás onde podia ser mortas 300 ou 400 pessoas

Aberturas no tecto por onde eram lançados os cristais mortais de Cyclone B

Este gás era usado como insecticida e depois adaptado para as pessoas…
Só se aproveitavam as pessoas que tinham condições físicas de trabalhar, o resto era morto! Mulheres, crianças, velhos, doentes ou inválidos eram gaseados e cremados…

Os crematórios…. As cinzas depois eram lançadas no rio ou nos terrenos em redor.

Esta câmara de gás e estes crematórios foram desactivados com a construção de outros muito maiores, por isso chegaram até nós intactos.

Entretanto quem não era morto não tinha muito melhor sorte, vivia em condições desumanas, ao calor ou ao frio, quase sem comer e sempre a trabalhar, e duravam muito pouco… Trabalhavam para o Reich na redondeza e construíram a grande secção de Auschwitz II a 3 km Birkenau, muito maior, muito pior, muito mais mortal, entrar ali era nunca mais sair!

Pela Porta principal de Birkenau entravam os comboios que levavam os condenados directamente para as câmaras de gás gigantescas.

Era aqui que se faziam experiências “médicas” mas mulheres e crianças judias, era aqui que as pessoas entravam directamente para as imensas câmaras de gás.

viviam em condições miseráveis, entre pulgas e ratazanas e centenas de pessoas em cada pavilhão sem qualquer conforto.

As poucas imagens da época mostram o que aquilo era!

retretes tenebrosas…

alguns prisioneiros simplesmente não aguentavam e atiravam-se para a cerca electrificada e morriam electrocutados…

há apenas 2 anos foi encontrada na Alemanha uma carruagem da época e trazida para Birkenau..

O curioso é que os judeus eram uma raça a extinguir, mas o que era deles era aproveitado e vendido na Alemanha! Os seus pertences, mesmo pessoais, as suas jóias e… os seus cabelos! Os cabelos eram rapados, lavados e enviados para a Alemanha para fazer tapetes e mantas, como a lã das ovelhas!

Cabelos…

Quando o campo foi libertado encontraram milhares de objectos que ainda não tinham sido enviados para fora… milhares de coisas que chocam…

Óculos

Próteses

Malas

Sapatos

Mataram gente até ao último momento, mesmo quando já sabiam que iam perder a guerra. E mesmo aí ainda deportaram prisioneiros para a Alemanha, queriam que aquela gente morresse a todo o custo!

E à última da hora tentaram destruir evidências e demoliram os 2 grandes crematórios de Birknau bem como as imensas câmaras de gás. Hoje conservam-se os destroços e é junto deles que está o memorial com a mensagem em todas as línguas dos povos sacrificados ali.


“Que este local onde os Nazis
assassinaram um milhão e meio de homens,
de mulheres e de crianças,
na maioria judeus de diversos países da Europa,
seja para sempre para a humanidade
um grito de desespero e um aviso.

Auschwitz – Birkenau 1940-1945”

Hoje as pessoas que visitam o campo deixam flores e passarinhos de papel em todos os recantos de sofrimento…

O director do campo foi julgado e referiu sempre, orgulhosamente, que tinha orgulho da sua missão cumprida! Foi enforcado em Auschwitz, mas de todos os SS heróis, apenas uns 10% foram apanhados e julgados todos os outros fugiram e refugiaram-se na América do sul, cobardemente…

Desculpem se me estendi… havia tanta coisa mais para dizer…


.
.
.
.

Todas as fotos são minhas, experimentei, como tinha prometido, fotografar a preto e branco, achei que era apropriado!

_____________________
16 Agosto 2010
_____________________

Cucu!

Ainda bem que apreciaram a etapa de Auschwitz… reli-a agora e reparei que tem alguns erros, espero que não perturbem de todo a narrativa…

Neste momento estou em Sopot, cá bem no norte da Polónia, mesmo à beirinha de Gdansk. Ambas as cidades são muito interessantes!

Estou numa pousada que é um sonho, apetece ficar aqui uma semana!

Beijucas

_____________________
18 Agosto 2010
_____________________
Cucu!

Estou em Berlim desde ontem, já fiz uns km a pé e de mota pela cidade, mas hoje de manha chovia bastante e pirei-me para Dresdem, que era um dos grandes objectivos da minha vinda a Berlim. Cidade espectacular, como tinha imaginado.

Ainda bem que fui para lá, porque aqui o tempo esteve uma bosta todo o dia! Lá estava sol!
E quando voltei trouxe-o comigo e ainda dei umas voltas por cá, até comprei um pedacinho do muro de Berlim!

Entretanto o meu pequeno portátil não está a gostar da net daqui e eu tive de vir para o pc da pousada, o que me impede de colocar fotos… para já.

Logo que resolva a situação vai ser uma chuva delas!

Beijucas e até já

_____________________
19 Agosto 2010
_____________________

Cucu!

Hoje estou em Bremen e fiz para cima de 780 km, andei a catar uma série de recantos e a dar umas corridinhas nas vias rápidas!

Aqui é assim, ou vou a passo de caracol pelas nacionais, ou dou umas corridas e vejo terras mais distantes umas das outras!

Optei pela 2ª hipótese e levei a minha motita várias vezes aos 220/230 km/h! Atenção que fi-lo dentro da legalidade (olhem para mim e chorem!)

! É tão giro encontrar uma placa, que aí nem existe, que indica o fim do limite de velocidade! Ela adorou, parece uma jovenzinha, ninguém diz que já fez 160.000 km!

Ora bem e como aqui a net está e harmonia com o meu pequeno portátil, vou ver se publico o que já fiz mas não consegui por on-line!

Até já
_____________________
19 Agosto 2010
_____________________

Escrevia eu no dia 16, em Sopot (há 3 dias):

Estou no jardim da pousada, cheio de velinhas nos muros e candeias penduradas nas árvores, que iluminam de uma forma bem inspiradora todo o espaço. A pousada é uma vivenda muito bonita rodeada de árvores, flores e relva fresca, numa noite amena e agradável. Está uma noite sem luar mas isso só acentua os pontos de luz aqui em meu redor!

Que mais se pode desejar da vida senão viajar e desfrutar destes pequenos paraísos que cada país tem para nos proporcionar?

Dia 14 de Agosto – Saí de Cracóvia quando se estavam a preparar as comemorações do dia do soldado polaco (acho que era isso!) e parti para a capital.

Sentia-se que era fim-de-semana pelo movimento, ou a falta dele, nas estradas.

Passei em pequenas terras pelo caminho, onde a minha mota fez sensação! Ouvi os primeiros assobios depois de sair de Portugal! Afinal os Polacos também mandam piropos!

Kielce é uma cidadezinha cheia de gente na rua principal que parece nunca chegar ao fim!

Depois as ruas estavam todas em obras, ou parecia, e não tive paciência para entrar em mais cidade nenhuma.

O calor apertava e fui directa a Varsóvia

Os dois últimos dias 14 e 15 foram passados em Varsóvia, passeando por um solo cheio de história de destruição de sofrimento… não persegui muito os locais mais terríveis, tentei apenas passear pela cidade, embora a história esteja por todo o lado em pequenos recantos de memória ao passado cruel da cidade.

Ao contrário, deixei-me levar pelo que a cidade tem de bonito para dar. Com 39 graus não havia espírito para andar a sofrer pelos locais onde outros já sofreram tanto!

O povo derretia pelas ruas com o calor!

No centro da praça principal, a praça Rynek Starego Miasta, tinham colocado uma mangueira que refrescava todo e todos, disparando água em leque! Que brilhante ideia!

Eu também lá passei! Guardei a máquina na carteira e fui apanhar uma regaleda! Que bem que soube!

Saí de lá com o cabelo a pingar mas feliiiiiz! Eu e o calor nunca fomos muito amigos…

Mas ainda arranjei coragem para subir à torre que melhor vista proporciona sobre a praça (não me lembro do nome dela..)

Cá está ela! Parece pequena mas reparem no que se pode ver lá de cima:

E lá estava a minha companheira de todas as andanças!

Bem vou ter de desligar, o povo não me larga, gostam de saber tudo de toda a gente, é tipico de viajantes! …

_______________________
19 Agosto 2010
_______________________

Escrevia eu em Berlim…

A net por aqui é um desespero! Abandona-me a todo o momento!
Hoje é dia 18, estou em Berlim, num dia chuvoso e frio que me fez “pôr a andar daqui”… A bem dizer Berlim era apenas uma das finalidades aqui, eu queria muito ir a Dresden e, aproveitei o mau tempo e lá fui! Lá estava sol!

Mas eu estava a falar de Varsóvia! Xi, isso já foi há uns dias! Varsóvia um solo cheio de história que ninguém pode ignora, mesmo que queira! Os memoriais estão por todo o lado e as referências á destruição da cidade pelos nazis, também!

Comi uma sopa miserável! Só se aproveitava a cerveja! “Zurek” é o nome da famosa sopa, com aspecto e textura de leite e com sabor avinagrado, uns pedaços de salsicha fresca e meio ovo cozido dentro… foi a coisa mais reles que tentei comer nesta viagem!

Depois tentei compor a coisa comendo uma lasanha, estava original, não estava má!

Varsóvia foi totalmente destruída pelos nazis, por ordem de Hitler, todas estas casinhas foram depois meticulosamente reconstruídas… custa a crer!

Entretanto descobri que a minha máquina me andava a tirar umas fotos às escondidas!

Enquanto eu dava uma volta pela cidade nova

Com reminiscências do passado comunista – Palac Kultury i Nauki,(Palácio da Cultura)!

E o futuro mesmo ali ao lado!

Os centros comerciais são como os nossos, coisa rara! Normalmente não existe o conceito de centro comercial como para nós, ou são tipo Corte Inglês, ou são lojas soltas pela rua. A Polónia foi o primeiro país que eu vi centros comerciais e bem interessantes, como este!

Aquele vidro ondulante é parte da cobertura do espaço, muito giro!

Varsóvia de vidro!

E os policias, sempre giros, sempre com boas motas e sempre simpáticos! Pelo menos comigo…

_______________________
20 Agosto 2010
_______________________

Depois, no dia 16, parti para o norte, o destino era Sopot, na costa do mar Báltico mas passei primeiro por Gdansk (esta gente consegue dizer imensas coisas com montes de consoantes e apenas uma ou duas vogais, são espantosos!).

Gdansk, tal como eu suspeitava, é uma cidade muito interessante, cheia de movimento, musica e alegria!

Encontrei terras interessantes pelo caminho!!!!!

Mais uma cidade antiga e cheia de história!

Aqui começou a 2ª Guerra mundial ou antes, a ocupação desta zona pelos nazis, despoletou a guerra…

Conheci lá um polaco muito simpático, que falava um inglês bem mais miserável que o meu, mas conseguimos conversar enquanto eu almoçava. Surpreendentemente, a dada altura da nossa conversa de surdos, ele perguntou se eu não era artista!! Perguntei como adivinhou, ele respondeu que eu tinha ar disso, de Picasso!

Entretanto despediu-se mas perguntou se eu ainda estaria ali dali a 5 minutos. Disse que provavelmente sim, pois ainda estava a almoçar. Voltou a passar pelo lado de fora da esplanada e ofereceu-me uma rosinha muito gira, um anjinho e uma fatia de queijo e desejou-me boa viagem!

São pequenas histórias que tornam uma viagem especial também!
Depois lá segui para Sopot, logo ali ao lado! Fui ver o mar, era amarelo! E o famoso molhe o “Molo”, de madeira, o maior da Europa, dizem que tem 515 metros!

Só peca por uma coisa, para mim, não tem nem uma sombra! A gente torra ali, e era o que algumas pessoas estavam lá a fazer, a torrar!

As fraldas do molhe, aquilo é mesmo tudo em madeira!

Lá está ele, visto da praia…

Encontrei a famosa casa torta, a Krzywy Domek, mas será mais visível depois do Outono, pois neste momento as árvores tapam-ma parcialmente. Várias pessoas desataram a fotografá-la quando eu o estava já a fazer, não a tinham visto sequer!

E bem à porta estavam dois rapazes banais, mas um deles transportava um passageiro no saco!

Adorei!

Um passageiro silencioso!

A pousada era um miminho! Uma vivenda com um jardim muito mimi! À noite acendiam-se velinhas por todo o lado e o jardim enchia-se de romance e conversas! Por causa dessas conversas, em que todos queriam saber coisas de todos, é que eu não consegui acabar a crónica de Varsóvia e depois demorou para caramba a voltar a conseguir faze-la e publica-la!

O jardim

A casa

O meu quarto, com o meu novinho capacete schuberth c3 no parapeito da janela!

**********************+

Então anteontem, dia 17 parti de novo, desta vez para Berlim! Chovia de manhã e a temperatura era baixa. A dada altura quase tive saudades do calorão de Varsóvia! Entrei numa via rápida e o Patrick murmurou-me ao ouvido, siga por mais 285 km! Cruzes, isso existe uma via rápida com tanto km seguido sem desvios? Existe, a que eu fiz, entra pela Alemanha dentro e leva-nos até Berlim, sempre a mesma, sempre sem pagar!

encontrei uma terrinha bem girinha para comer qualquer coisa.

Não há como a margem de um lago para se fazer um pic-nic!

Depois segui pela tal via rápida de quase 300 km, a A 114 e passei pela placa que procurava

Os alemães são poupados, nem o nome do país tem, apenas uma letra!

Aquele céu estava inspirador!

E cheguei a Berlim! Berlim estava bonita e ainda deu para dar umas boas voltas por lá ao anoitecer! Gostei bastante da sensação.

Fui ver a Porta de Brandemburgo, (sec XVIII), também faço figurinha de turista! E tirei algumas fotos bem giras. Estava lá tanta gente com maquinas enormes e boas a fazer tão más fotografias!!!

Aquela zona é interdita ao trânsito, mas quando o polícia se chegou eu já ia embora com a foto tirada…

Jantei mesmo em frente ao Memorial aos Judeus Assassinados na Europa, sugestivo!

e voltei à Porta de Brandemburgo depois de jantar, porque de noite aquilo é giro!

Dei uma volta ali na redondeza a pé, dar uma vista de olhos ao rio Spree.

o Palácio do Reichstag, o parlamento alemão

Imponente! Não o consegui visitar por dentro porque estava permanentemente com uma fila de quilómetro até altas horas da noite!

Voltei ao Memorial buscar a mota e fui dormir!

_______________________
20 Agosto 2010
_______________________

Cucu!

Estou em Frankfurt, mas giro giro foi o caminho para cá!
Fiz mais uma infinidade de km e foi o paraiso sobre 2 rodas!

Passei numas terrinhas deliciosas que se chamam Marbur e Hedelberg.

Eu vi passar um “atlas” de cidades nas placas: Amesterdão, Basel, Koln, Dusseldorf… até Luxembourg! Mas umas já visitei, outras… não me apetecia visitar! Apetecia-me afastar-me das grandes cidades e foi o que fiz, para grande basta Frankfurt!

Ainda não vi as fotos mas acho que fiz algumas espectaculares… logo se verá!

Até já

_______________________
21 Agosto 2010
_______________________

Cucu!

Hoje e amanhã estou em Offenburg, para ir visitar a Floresta Negra e o lago de Konstanz.

No caminho para cá conheci Saarburg (linda) e Baden Baden (mais comum), adorei!

Está calor de novo, para eu experimentar de tudo, desde chuva, temporal, frio, sol e calor! Que mais falta? Neve?

Beijucas

_______________________
21 Agosto 2010
_______________________

No dia 18 acordei com o mau tempo todo em cima de mim! Com direito a trovoada e tudo! Que chatice ter de vestir as tralhas da chuva para andar de um lado para o outro! Ainda dei uma volta, pela Breitscheidplatz,

o verdadeiro coração de Berlim ocidental.

As ruínas da Igreja Memorial, que domina a praça serve como um lembrete potente da força destrutiva da guerra

]

devia ter sido linda!

Como ela era antes…

Como ela ficou depois dos bombardeamentos de 1943… Na reconstrução da cidade a tendência era de derrubar o que estava em ruínas e construir algo novo. A população não deixou que se derrubasse o que restava da catedral e a nova igreja foi construída ao lado, que remédio!

Muito mais bonita por dentro que por fora…

O altar

O coro.

Mais um memorial da guerra, mas o dia estava uma bosta! Para andar de fato de chuva, era para fazer sauna dentro do fato, para andar sem ele, era para apanhar uma molha… fui para Dresden, a capital da Saxónia!

E lá o tempo estava bem melhor, afinal fica a quase 200km de distância!

Mais uma cidade mártir! Cheia de memórias da guerra de que saiu quase totalmente destruída do controverso bombardeamento de 1945 onde morreram cerca de 35 mil pessoas …

Frauenkirche de Dresden – Igreja barroca de Nossa Senhora – Luterana. Completamente destruída durante o bombardeamento a sua reconstrução apenas ficou completa em 2005!

Cada pedra negra é de origem, cada pedra branca é nova… hoje é o símbolo da reconciliação entre amigos e inimigos de guerra

O interior, muito interessante e diferente!

O tecto tem uma abertura para o nível de cima que é asserível por uma rampa em caracol (sim, não tinha degraus!) que eu subi.

para ver Dresden lá de cima!

Ainda hoje se questiona aquele bombardeamento fulminante que derrubou e queimou tudo. Os ingleses diziam que ali era um centro militar o que na realidade era… uma Florença alemã… um centro de cultura e arte…

nas margens do rio Elba.

Voltei a Berlim, quando a chuva estava a chegar a Dresden…

Berlim parece que está a ser reconstruída de novo, a considerar pela quantidade de ruas e edifícios em recuperação!

Mais um momento de reflexão no espaço “A Topografia do terror”…

Situado exactamente no coração onde tudo era maquinado, na base da Gestapo.

Quando ia a chegar ao local, o céu escureceu, encheu-se de nuvens negras e desatou a chover com tanta intensidade que toda a gente fugiu a correr para se abrigar! Foi a minha recepção ao local…

Aqui se reunia, aqui se decidia, prendia, torturava, humilhava e oprimia…

Uma exposição muito completa, documenta a história e as histórias do que foi o III Reich.

Aqui está também uma parte do Muro


Todo esgadanhado das pessoas tentarem tirar bocados…

Ali ao lado, junto da lojinha de recordações oficial há um pedaço também

Depois de mais um momento de “oração”, fui dar mais uma volta pela cidade, encontrei a catedral (barroca).

Esta foi reconstruída, não a deixaram em baixo…

Ela fica mesmo na margem do rio!

Ainda fui dar uma vista de olhos à ilha dos museus, estava tudo fechado aquela hora, claro!

Passeei ainda um pouco junto ao rio e fui dormir.

_______________________
22 Agosto 2010
_______________________

Cucu!

Hoje foi um dia muito internacional!

Almocei na Alemanha, lanchei na Suíça e jantei em França!

E não há ceia senão acho que seria na Áustria!

Apanhei uma tempestade monumental, as estradas ficaram inundadas, encontrei 3 acidentes por causa do mau tempo…

A minha motita deve ser tipo torpedo, segue em frente sem se abalar e cheguei a Estrasburgo a pingar mas de perfeita saúde! Toda a gente olhava para mim porque não tinha chovido lá e eu escorria água!

Eu já vou a caminho dos 12.000km e ainda não estou exausta! Estou mas é a começar a ficar triste, aproxima-se o fim…

Mas ainda são uns bons km a fazer, por isso vou-me animando!

_______________________
23 Agosto 2010
_______________________

Cucu!

Estou em Praga, depois de ter passado por Munique, grande parte da viagem debaixo de chuva, mas a entrada na Republica Checa foi um espectáculo!

Este Patrick acha que eu devo conhecer o mais bonito de cada percurso e trouxe-me pelas “fraldas” do país! Entre campos, quintas, lagos (muitos lagos) e ruínhas que me fizeram por em dúvida a sua sanidade mental… a verdade é que cheguei direitinha à porta da pousada de Juventude, sem nenhum percalço! Adoro-o!

Foram mais de 700 km de puro prazer (chuva à parte).

**********************

Ora eu tinha-vos deixado em Berlim!

No dia 19 fui para Bremen, pelo caminho passei pela terra onde morreu Bach, Leipzig.

Uma terrinha simpática que vale por quem lá viveu!

Depois passei por Hamburgo, a 2ª maior cidade do país e com o maior porto no rio Elba

Com um pequeno jacto de agua, ao estilo do de Genève, mas pequenino!

Mais um memorial, a torre da antiga catedral de Sainta Nikolai, derrubada nos bombardeamentos da 2ª guerra, já foi a torre mais alta do mundo.

<img src="http://lh6.ggpht.com/_L0ZAmbZc7NQ/THGm76WNtcI/AAAAAAAABg4/UteFcJVp-Bc/s800/DSC05197.JPG%5B/img%5D

Hoje tem um elevador que nos leva até lá acima.

A mesma população que não deixou derrubar a torre, juntou e duou dinheiro para que fosse colocado lá o elevador e assim permitir que as pessoas subam e vejam a cidade lá de cima.

Como era a catedral antes…

O que resta dela hoje..

Havia muita coisa em obras lá também

e a zona portuária divide-se em vários canais, com as construções em tijolo de todos os lados

Depois o trânsito começou a tornar-se infernal, com as obras não se podia circular por varias ruas… furei pelo meio daquilo tudo e pus-me a andar para Bremen

Pelo meio de dois prédios chegava-se à zona mais castiça!

Que vai dar à praça principal

E tem o rio Weser, ali ao lado, onde o por do sol foi mágico!

(Continua)

Anúncios

10 thoughts on “2 – Passeando pela Europa 2010

  1. Obg Gracinda pelo teu testemunho, esclarecedor, para alguns, e pelas imagens, chocantes, mas verdadeiras de uma história triste e sécular por muitos e doradouros anos que o vento tente apagar através do tempo…
    Deve ter sido uma verdadeira luta e persistência da tua parte, conseguires, ir até ao fim, bem hajam Motards como tu, que vão demosntrando o que é ser um verdadeiro(a),estradista, que Deus te dê muita força para seguires…em frente.
    Bjs e boas estradas

  2. Nossa! Que viajem maravilhosa,parabéns!Isso é coisa que eu nunca vou poder fazer por questão financeira.E é muito prazeroso ver essas paisagens lindas por alguém que faz questão de dividir com outras pessoas a sua felicidade,e porque não dizer a sua tristeza,seus sentimentos,enfim,tem fotos dos campos de concentração isso realmente é muito triste.Parabéns!Abço e fqe com DEUS!!!

    • Obrigada!

      Fico contente que as minhas viagens sirvam para ajudar outras pessoas a viajar…
      Eu vou trabalhando bastante para juntar dinheiro e continuar a viajar mas, com a crise que vivemos por aqui, lá chegará o dia em que não poderei mais ir…

      Beijucas

  3. Gracinda “despertei sentimentos distintos” ao ver esta parte da crónica da tua viagem.
    Por um lado tens fotografias de paisagens de sonho, magnificas, lindíssimas. Vontade de deixar tudo e ir…
    Ir ao encontro desses sítios de autentico paraíso!
    Por outro lado Auschwitz! Imagens que chocam! Imagens tristes, impressionantes!!
    Obrigada por partilhares estes momentos tristes e arrepiantes e por todos os outros momentos fantásticos.
    Continuação de muitos e bons km.
    Beijinho Simone

    • Nessa viagem, quando contei que tinha ido a Auschwitz, houve quem dissesse que nunca o faria numa viagem como a minha, pois estragaria o ambiente e o humor do passeio….
      Mas foi Auschwitz o motivo impulsionador da viagem!
      Foi para ir lá que eu fiz aquela viagem! Tudo o que vi foi projetado depois de decidido que iria lá!
      O ambiente e o humor de uma viagem muda e varia muitas vezes ao longo de um mês e, no final da viagem, resulta uma amálgama de sentimentos e emoções, que tornam aqueles dias intensos e cheios de história.
      Uma viagem destas não tem nada a ver com umas férias de festa, alegria, bebidas e noitadas, nem é nada disso o que procuro numa viagem.

      • Sem dúvida Gracinda, que numa viagem com esta dimensão, mas acima de tudo, pelo Propósito que te levou a realizá-la, nada tenha a ver com umas “simples férias”! 🙂
        “Vi” nesta crónica e em outras que tive a oportunidade de ler , feitas por ti, que és uma viajante! Uma grande viajante cheia de energia!
        Vives intensamente cada bocadinho das tuas viagens, aproveitando ao máximo, todas as emoções que as mesmas te transmitem.
        Nesta viagem, admiro particularmente, o teu espírito forte, o conseguires estar em “distintos cenários” em que os mesmos, em algumas situações provocam sentimentos fortes e variados; que depois Tu consegues transmitir essa mesma mistura de sentimentos, força e energia através das tuas palavras e das tuas fotos, sem “ires a baixo”.
        Obrigada pela tua coragem, garra e energia!
        Beijinho Simone

  4. I just want to say I am newbie to blogs and truly liked your blog site. Probably I’m going to bookmark your blog . You surely come with exceptional articles. Thanks a lot for sharing with us your blog.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s