6. Marrocos 2012 – Ouarzazate

3 de Abril de 2012

O dia amanheceu meio cinzento e fresquinho. As nossas motitas tinham pernoitado na esplanada coberta e fechada do hotel Marmar, uma delicadeza que a gente aprecia sempre!

É sempre mais fácil arrumar as tralhas na moto quando ela está arrumadinha e abrigadinha!

Aqueles pequenos-almoços com o delicioso sumo de laranja, são imperdíveis!

E não resisti a fazer a mesma brincadeira do ano passado e fotografar a pequena cidade formada pelos porta-chaves dos quartos! Muito giros!

Então fomos até ao centro antigo de Ouarzazate, que eu queria muito visitar desde o ano passado.

(Ouarzazate é chamada a porta do Deserto e fica entre as montanhas e os oasis do vale do Dadès e do vale do Draa.)

A muralha da Medina é visível da rua, como uma fortaleza!

E na frente da rua, a Kasbah de Taourirt…

La Kasbah de Taourirt é uma das mais belas construções arquitetónicas da cidade. É incontornável, impossível de ignorar, porque se impõe como uma fortaleza!

Esta construção bérbere impressiona pela sua massa enorme cheia de detalhes decorativos e pitorescos. Ela é semelhante a um grande castelo de areia do deserto!

Este ano eu não poderia deixar de a visitar… acho até que tirei esta foto igualzinha à do ano passado! Visitamo-la com um guia todo catita, meio ator de cinema (segundo ele dizia) e que contou uma série de pormenores sobre a história do local e sobre Marrocos e sua história e costumes. Foi giro!

A Kasbah de Taourirt servia de palácio ao Pacha de Marrakech, Thami el Glaoui, que se insurgiu contra o rei Mohammed V quando Marrocos era um protetorado francês.

Os pormenores das torres são lindíssimos !
Dizem que os materiais e técnicas de construção usados naqueles « castelinhos de terra » é ecológica, está a ser estudada e planeia-se o seu uso noutros pontos do planeta, pois não deixa resíduos por isso não destrói o ambiente em seu redor ! Espantoso heim ?

E o guia dispunha-se a contar-nos histórias por horas a fio, e a gente até as ouviria se não tivesse metade do grupo à porta à nossa espera !

Então o Pacha tinha 4 mulheres e uma infinidades de filhos, por isso o palácio tinha de ser grande e organizado. Ter muitas mulheres era sinal de grandeza económica, pois ele tinha de as sustentar, a elas, aos filhos e a todos os empregados necessários para manter toda a vida da Kasbah em ordem! E ainda há quem se queixe de ter de aturar uma mulher ou um marido !

As janelas são em baixo porque as mulheres passavam a vida sentadas e aninhadas no chão e assim poderiam ver facilmente para fora !

E por elas viam o resto do palácio e a Medina ao fundo, também de casas de barro!

Taourirt é o nome da aldeia onde foi construída a la Kasbah. Esta aldeia foi fundada no sec XII e a Medina chegou até nós habitada e pode ser visitada!

Até o ninho da cegonha é bizarro!

Ora veja-se de perto! Parece que tem vários andares não?

Os pormenores da Kasbah são lindíssimos vistos de perto! Tão simples e tão imponentes!

Os interiores foram restaurados e ainda se podem ver tetos trabalhados em madeira de cedro.

E desculpem-me, mas fiquei encantada com alguns recantos e pormenores!

Acho que aquela gente andava sempre aninhada, pois todas as portas são pequenas e baixas!

A forma como se sustenta um primeiro andar numa casa de barro também me aguçava a curiosidade!

Tanto Ouarzazate e a sua Kasbah de Taourirt, como a Kasbah deAït Benhaddou, são Património da Humanidade reconhecido pela Unesco e ambas fazem parte da Cidade do Cinema e foram cenário de diversos filmes!

E fomos visitar a Medina medieval!

Curioso o pormenor das “caleiras”, tubos que afastam a água das paredes das casa, para que estas não se dissolvam com o cair continuo da agua! E mesmo assim as paredes são fortificadas em todo o possível percurso das águas que possam cair conta elas! Muito giro!

Na praça central preparam-se para lavar um grande tapete! As casas não têm condições para estas lavagens!

Ali ao lado, a farmácia de produtos naturais. Dizia o guia que, com o preço elevado dos medicamentos, os povos continuavam a recorrer a medicina tradicional!

Ali vende-se de tudo: chás, poções, pós, pigmentos, pedras, sabões e eu sei lá que mais!

Andamos por ali literalmente a cheirar uma série de frascos!

Acho que o Luis cheirou algo que não devia e transformou-se num deles!!

Curiosos os pormenores da vida na Medida, homens mais novos cuidam dos homens mais velhos! Ali faziam a barba a um velhote!

Naquela terra ninguém pode engordar muito, ou não passará em algumas portas e ruelas!

Estava na hora de ir embora pois o dia não acabaria ali!

(continua)

Anúncios

10 thoughts on “6. Marrocos 2012 – Ouarzazate

  1. Bem que podem fazer estudos de com as construções em barro e areia aguentam tanto, mas sem esquecer que por lá há temporais de areia, e alguma chuva, quanto mais pra norte mais forte é a chuva…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s