8. Rússia 2015

(continuando)

***** ***** ***** ***** *****

16 de agosto de 2015

São Petersburgo

A minha rua neste momento, o sitio onde estou hospedada e depois, indo até à esquina onde fica a entrada para o recinto do Hermitage!
(fraca cineasta sou, sorry!)

https://fbstatic-a.akamaihd.net/rsrc.php/v2/y4/r/-PAXP-deijE.gif

***** ***** ***** ***** *****

17 de agosto de 2015

In PASSEANDO PELA VIDA – a página

1209. Eu nunca apreciei muito andar de metro, a gente entra e vai de túnel em túnel sem ter a menor noção do que se passa cá em cima! Depois, normalmente, são “buracos” feios, sem qualquer beleza. Chega-se rápido a todo o lado, sem se usufruir de qualquer prazer visual na viagem! E no entanto hoje eu paguei um bilhete só para ver uma estação de metro! Que experiência mais encantadora! Começou pela simpatia da funcionária que mo vendeu, preocupada a explicar-me, no seu pouco inglês, que o bilhete era como uma moeda e que eu tinha de usar para abrir o “torniquete” para entrar, depois desci e fiquei encantada por ali, só a apreciar, uma estação que mais parecia a entrada de um palácio! Estou a preparar-me para pagar algumas viagens em Moscovo só para ver as estações todas que puder!

***** ***** ***** ***** *****

18 de agosto de 2015

1210. E já que falamos em estações de Metro, a apenas um quilometro e meio da Kirovskiy Zavod, fica a Avtovo, bem no meu caminho para sair de S. Petersburgo e seguir para Torzhok , onde dormirei hoje. Muito cheia de movimento, muita vida por ali, e no entanto o seu ar de plácido salão de baile mantém.se, assim que cada onda de multidão sai ou entra nas carruagens para seguir o seu caminho. Achei curioso o contraste entre o metro, que é feio e banal, a atirar para o antigo, e a beleza da estação, e ao “pormenor” de ele passar por baixo de uma fila daqueles belíssimos candeeiros que iluminam, não só o cais de embarque mas também o túnel naquela zona! Outro pormenor verdadeiramente surpreendente, aquelas colunas mais escuras são de metal trabalhado em relevo e revestidas a vidro, que acompanha todo o relevo, dando-lhe um toque de beleza frágil inesperado num local publico onde toda a gente entra ou passa…

Cá estou eu numa pequena cidade a caminho de Moscovo!
Andei a conferir as obras na longa (mesmo longa!) estrada entre S. Petersburgo e Moscovo! Os russos são gente simpática, arrumam-se para eu passar e a sua condução não é tão suicida como possa parecer, apenas são desenrascados a conduzir, nada demais! Os polícias são simpáticos e sempre se esforçam por me responder quando peço ajuda. Fica muita gente a olhar para mim quando paro nos semáforos, os motards cumprimentam sempre e já vi automobilistas tirarem-me fotografias com o telemóvel! Pareço uma ave rara!

Momentos do caminho de hoje!

***** ***** ***** ***** *****

19 de agosto de 2015

Cucu!
E foi hoje o dia em que a minha bonequinha se tornou adulta e passou os 100.000 km, e fê-lo a caminho de Moscovo! Não é qualquer moto que faz esta proeza na longa estrada Leningradskoe shosse! Uma alegria de condução, com ultrapassagens estonteantes, pela direita e pela esquerda, muita policia a controlar as velocidades e a nunca me importunarem.
Parei para celebrar o feito numa estação de serviço, e segui para cá.
Estou em Moscovo e estou a adorar, embora a praça vermelha esteja de todas as cores menos vermelha, pois está a preparar-se para um evento no fim do mês.
E fica mesmo ao fim da minha rua, basta atravessar a ponte e pimba, lá está ela.

As Matrioskas estão por todos os lados mas as bonitas são bastante caras! Ainda vou pensar se levo alguma ou se me limito mesmo a desenha-las! 😛

Quando cheguei ao hostel não havia forma de me abrirem a porta! Ela é de metal e mais parece a porta de um cofre. Tentei telefonar mas não consegui, então liguei para Portugal, para a agência Lusitana Soll, é a vantagem de ter uma agência por trás, com gente que sabe falar russo.
A porta abriu-se logo!
Obrigada meninas (Cátia e Andreia)!

In PASSEANDO PELA VIDA – a página

1211. Torzhok é uma pequena cidade cheia de encantos que já foi muito importante na história do país. Há uma série de igrejinhas por lá, algumas quase em ruínas mas com sinais de trabalhos de restauro, felizmente, porque merecem! Fui recebida com simpatia no hotel e nas ruínhas onde parei para ver algo. As pessoas olhavam-me com surpresa e tentavam comunicar.Faziam perguntas a que eu não sabia responder e ficavam visivelmente frustradas por não conseguirem comunicar. Encolhiam os ombros e tagarelavam entre elas sorrindo. Deviam estar a falar de mim, pois apontavam para mim e para a moto.

***** ***** ***** ***** *****

20 de agosto de 2015

Andei a surfar por Moscovo com a minha motita e foi a loucura total! Acho que é sabido o quanto gosto de conduzir em cidade e na cidade maior da Europa mais ainda! É conduzindo pela cidade que eu vejo e sinto o que ela é e Moscovo é um E S P E T Á C U L O!
Depois havia coisas que eu queria ver, como a Universidade de Moscovo, e deslumbrei-me! A minha bonequinha adorou tanto como eu.
Hoje está um “calor infernal” por aqui, 21º a contrastar com os 13º que fizeram ontem.
Que me desculpe quem pensa o contrário, mas estou a gostar muito mais daqui do que de S. Petersburgo! Sinto que podia viver aqui!

In PASSEANDO PELA VIDA – a página

1212. A Universidade Estatal de Moscovo é um edifício espantoso! Vê-se de longe, por cima de tudo, com o arvoredo por baixo, enorme e imponente, quase assustadora! Fui seguindo a sua silhueta intuitivamente, porque não parecia haver hipótese de errar o caminho, de tal forma ela domina o horizonte. E lá estava ela, meio em contra luz, com o sol a cegar quem a olhava, com o imenso lago a fazer efeito de espelho. Fiquei ali parada a olhar para ela, sem nem saber se era permitido pousar ali a moto. Então chegou uma camioneta de chineses que, mal saltaram para o chão desataram a fotografar-se com o edifício como cenário de fundo. Depois voltaram-se para mim e para a minha moto e continuaram a sessão de fotografias comigo e a minha moto a fazermos de paisagem. Se calhar ainda vão contar no país deles que viram uma russa numa moto muito grande de guarda à universidade! 😀

E nas minhas corridas por Moscovo, sim que nesta cidade ou se corre ou se é ultrapassado pela direita e pela esquerda, e depois não se consegue ir onde se quer, passei numa ou duas estações de Metro!
E para que se tenha uma ideia do movimento que o Metro tem por aqui, é um dos mais movimentados do mundo, fiz uma pequena filmagem, ora vejam!

https://video-mad1-1.xx.fbcdn.net/hvideo-xpt1/v/l/t42.1790-2/11859423_10204631559578166_891011452_n.mp4?efg=eyJybHIiOjU3MiwicmxhIjo1MTJ9&rl=572&vabr=318&oh=982be8f167d8786bd7a8ef0d7c26d256&oe=55EF63D8

In PASSEANDO PELA VIDA – a página

1213. Correndo o risco de saturar a minha página com imagens de estações de Metro…. não posso deixar de mostrar mais uma! Cheguei à Komsomolskaya vinda do chão! Na realidade eu entrei pela Kazansky, que é uma estação de caminho-de-ferro muito bonita e tem a sua própria estação de Metro, do outro lado da imensa avenida, por ali andei a explorar, de túnel em túnel, desci e voltei a subir e surgi do chão, na estação mais bonita de Moscovo! Toda a galeria simplesmente podia fazer parte de um palácio e seria o seu salão nobre, certamente! E pensar que esta estação foi construída menos de uma década depois do fim da segunda Guerra, quando o país ainda estava meio em ruínas e em recuperação… uma forma de dar um pouco de beleza e encanto à população, naquela que é uma das portas subterrâneas principais da cidade!

O Kremlin está fechado à quinta feira, por isso vou ver se tenho vontade de o visitar amanhã. Sim que a pessoa mais importante no momento não é o Putin mas sim eu! Claro que me vem sempre à mente o remorso de estar aqui e não andar a correr de um lado para o outro para ver tudo quanto possa, como fazem todos os turistas normais… mas eu não sou normal! Aprecio tanto um grande palácio, como um passeio a pé pelo parque, ou uma bela volta pela cidade de moto, e perceber como um povo funciona no seu dia-a-dia.
Por isso, vamos ver se amanhã vou ao Kremlin…
😀  😀 

***** ***** ***** ***** *****

22 de agosto de 2015

Cucu!
Já sai de Moscovo e estou perto da fronteia com a Letónia, numa cidadezinha que mais parece uma aldeia. Amanha passo a fronteira e sigo para a Polonia. Não há net no quarto por isso hoje não há fotos.
Vou dormir agora.
Beijucas mil

***** ***** ***** ***** *****

23 de agosto de 2015

Do hotel onde dormi a paisagem e esta, simples relax…
Até logo na Polonia se tudo correr bem! ❤

Cucu!
E para quem tem saudades minhas, estou feia, morena de uns lados e branquinha dos outros, mas cá estou! Aqui estou eu, hoje no Centro Geográfico da Europa! Desengane-se quem pensa que o centro da Europa é mais para a esquerda ou mais para a direita, porque efetivamente ele fica na Lituânia a cerca de 25 km de Vilnius!
Quem não sabia levante o dedo!

“Europos centras” dizem eles!

E estou com os pés no centro da Europa, viram?

In PASSEANDO PELA VIDA – a página

1214. Ontem, antes de partir, fui até ao fim da minha rua captar uma paisagem que se tornou familiar para mim nos últimos dias. e lá estava o Kremlin, com o Rio Moscova aos pés. Era cedo, ainda podia parar a moto num canto qualquer num passeio perto e olhar. O rio, que deu o nome à cidade, estava calmo e nada parecia mover-se. É sempre tão bonito apreciar uma cidade ao amanhecer, quando a multidão de turistas ainda não invadiu tudo. E é um privilégio ter uma paisagem destas só por minha conta, nem que seja por uns instantes, mas para nunca mais esquecer.

Eu confiei mais nos russos nestes dias do que eles próprios!
Tanto em S. Petersburgo como em Moscovo, e apesar de nem a policia recomendar, a minha motita dormiu na rua e nada lhe aconteceu! Os ladrões simplesmente não tiveram coragem de tocar na minha princesa.
Ontem fiquei em Opochka, a tal cidadezinha que mais parecia uma aldeia, e a senhora da receção não ficou sossegada, mesmo sem falar uma palavra que eu entendesse, explicou-me que era melhor eu guarda-la na entrada ao lado do hotel e assim o fiz. De manhã tinha uma companheira junto dela, foi preciso endireita-la para a minha motita ter espaço para se pôr de pé e sair.
Gente boa os russos, simpáticos e atenciosos, mesmo sem saberem falar outra língua, conversavam que se fartavam comigo e eu lá os ía entendendo!

Pausa para almoço hoje, junto ao rio Šventoji, (Lituânia) num ponto onde ele se torna deslumbrante a parecer-se mais com um lago!
É tão bom a gente poder decidir assim de repente “vou fazer um pic-nic aqui mesmo”, com o paraíso como paisagem, não é?

***** ***** ***** ***** *****

24 de agosto de 2015

E estou na Ucrânia!
Foi muito giro passar a fronteira com toda a gente a olhar para mim e para a moto. Homens juntaram-se a tagarelar olhando os autocolantes da minha bonequinha “venho de Portugal” disse eu, e os seus rostos iluminaram-se “Portugalia ok” diziam, apontado o “P” na traseira da moto. Percebi que tinham estado a tentar adivinhar de onde eu era!
😀

A noite passada foi em Augustow, uma cidadezinha pequenina mas bonitinha, na Polónia.
Fui recebida com tanta admiração e simpatia, que me apeteceu ficar mais tempo. Fiquei hospedada numa casa particular que aluga um quarto muito confortável com varanda privada e tudo.
Contaram-me uma história de um programa que deu na tv polaca, sobre o nosso governo estar a convidar estrangeiros para irem viver para Portugal, para cidades “fantasma” feitas de apartamentos que foram construídos com fundos europeus e que ninguém habita!
Que raio de história é esta que eu, que sou daí, não sei de nada!
Alguém sabe algo que eu não sei?

Augustow

Aqui é o mesmo fuso horário de Moscovo, por isso volto a estar mais tarde 2 horas do que vocês!
Deixo-vos um entardecer na Ucrânia, junto de um monumento abandonado, julgo que será da 2ª Guerra, não fui ver pois estava um ambiente meio suspeito em torno dele…

***** ***** ***** ***** *****

26 de agosto de 2015

Ontem foi um dia muito difícil e desgastante!
400km de estrada em mau estado, sendo que 250 estavam muito pior do que a minha motita e eu devíamos poder suportar!
A dado momento pensava para comigo se não teria escolhido a estrada da Lua, com tanta cratera era o que parecia. A maior parte das vezes nem dava para evitar a buracada, tinha de passar por cima mesmo. Um dia inteiro à procura da estrada pelo meio dos buracos foi duro. A Ucrânia, por muito linda e simpática que seja, ficará associada às péssimas estradas!

In PASSEANDO PELA VIDA – a página

1215. Chamam-lhe o Cemitério Feliz e, quando chegamos lá, percebemos perfeitamente porquê! É muito colorido e as lapides, de madeira trabalhada, retratam com humor um pouco da vida do falecido. As cores têm significados específicos e o azul, dominante é o símbolo da esperança. O Cimitirului Vesel fica em Sapanta e começou a sua tradição no início do século passado, hoje é motivo de interesse e visita que atrai gente de todo o mundo. E eu, que gosto de ver os cemitérios dos outros países, uma forma de ver como cada povo cuida de si e dos seus, adorei esta visita, só tive pena de não conseguir ler romeno porque em cada lapide há uma história escrita sobre a pessoa que ali jaz. Uma forma muito bonita de manter viva a memória de cada um!

1216. Os mosteiros do norte da Roménia foram o que me trouxe aqui e todas as expectativas foram superadas! O primeiro que visitei foi o Mănăstirea Moldovița, um dos mais antigos da zona, data do séc. XVI e é lindo! Fui recebida por um romeno que meteu conversa comigo à minha chegada e me acompanhou na visita. Por estar com ele tive tratamento VIP e tudo. a nossa conversa foi curiosa, entre o romeno, misturado com francês e português, a sensação é que falamos uma só língua e conseguimos entender-nos! O mosteiro é espantoso e só me surpreendia o facto de as pinturas no exterior estarem tão bem conservadas. Noutras visitas a outros mosteiros semelhantes, pode perceber que nem todos estão em tão bom estado. E são tantos por aqui, todos inscritos como património da Unesco o que será algo de bom pois estão a ser restaurados e conservados com cuidado. Perdi a conta a quantos vi, mas este foi dos que me encheu de espanto!

O 3º mosteiro que visitei fica numa terra com um nome muito engraçado: Putna!
As comunas (como eles lhes chamam) são assinaladas por pórticos muito interessantes. Os pórticos, aliás, são muito usados e apreciados por aqui, qualquer casa particular tem o seu, e cada um mais curioso que o outro.
Eu tinha uma simpatia particular pela Roménia, mas acho que se está a tornar numa pequena paixão pelo país! ❤

E os mosteiros também têm os seus próprios pórticos a assinalar o início da propriedade religiosa. Eu não fico nas fotos, mas a minha bonequinha fica! Ela é bem mais fotogénica do que eu! eheheh
Foi neste mosteiro que eu conheci um motard croata que ficou escandalizado por eu andar por ali sozinha de moto. Dizia ele que pensava que era um herói por ter ido até ali mas, perto dele, eu só podia ser a super-mulher!
O que eu me ri!

***** ***** ***** ***** *****

27 de agosto de 2015

Linda Sibiu!
Estive a lavar toda a minha roupa na máquina no hostel, agora vou po.la a secar e vou passear um pouco… de pijama!
Sem problema, o pijama e composto de calcões e blusa bem civilizados! 😀

O meu maço de tabaco e mais inteligente do que eu! Fala russo! 😀

Vejam só algumas palavras que eu aprendi em russo!
Repitam comigo:

Caixa

Entrada
(o resto eu não aprendi! :O )

MacDonald’s
( e eu quem nem como lá!)

Metropolitano!

Ontem, ao serão, fiz uma pequena fan! Uma garota muito querida, israelita, que estava hospedada com os pais no mesmo sitio que eu e adorou a minha forma de viajar, já se falava em vir a fazer o mesmo!
Hoje de manhã fizemos-lhe uma série de fotos com a minha moto.

In PASSEANDO PELA VIDA – a página

1217. Fui recebida em Sadova com todo o carinho que se possa imaginar! Cheguei tarde, era noite, e não conseguia encontrar a casa. Vagueei por ali, não havia vivalma na rua. Afinal trata-se de uma pequena aldeia de montanha, não há muita vida à noite. Então eu vi uma luz através de uma porta aberta. Fui lá, sem nem tirar o capacete. Meia dúzia de rapazes tagarelavam em torno de uma mesa. Pedi ajuda, mostrei o meu livro com a reserva em romeno. Percebi que eles sabiam onde era mas não me sabiam explicar. Então um deles fez-me sinal para o seguir, segui-o lá para fora para a noite, mas ele não me ia indicar o sítio! Simplesmente pegou no carro e conduziu-me até lá! Na casa o casal proprietário fez-me uma festa, estavam à minha espera há muito. Deram-me de comer e beber e, entre romeno, francês e português, estivemos ali um bom tempo a conversar. Eu adoro este povo!

***** ***** ***** ***** *****

28 de agosto de 2015

Não é todos os dias que a gente acorda cedo e, antes do pequeno almoço, vai dar uma voltinha até à Transfăgărășan!
No hostel ficou tudo assombrado quando, às 9.30 horas da manhã eu apareci toda equipada dizendo que lá tinha ido.
“Hoje?” exclamaram várias pessoas, e começaram a equacionar as vantagens de se viajar de moto, eles demorariam o dia todo para lá ir em vários tipos de transporte! 😀

In PASSEANDO PELA VIDA – a página

1218. As casas de Sibiu são conhecidas por olharem para a gente e fazem-no com um ar de enfado que as faz parecer vivas, como quem comenta com as vizinhas sobre quem vai passando cá em baixo na rua. Provocam uma sensação curiosa aquelas janelinhas nos telhados que, por vezes, completam o quadro com uma enorme porta redonda, que as faz bocejar mesmo! E quando a gente olha em volta, é como se a rua tivesse vida, só falta mesmo ouvi-las murmurar a nosso respeito, em comentários irónicos, bem a condizer com aqueles olhares!

Servia!
Gente tão simpática me acolheu! A dona do hostel é minha fan desde que lhe escrevi a perguntar se tinha parque para a minha moto, seguiu o meu nome até ao meu blogue e imprimiu a minha imagem na moto, em grande, Para mostrar aos hóspedes quem vinha ai! Não e fantástico?
***** ***** ***** ***** *****

31 de agosto de 2015

Olá Mundo!
É por aqui que eu ando! ❤

In PASSEANDO PELA VIDA – a página

1219. Passar 2 noites entre os Alpes e as Dolomiti é algo que se aproxima muito do dormir no paraíso! Depois passear um pouco e, logo pela manhã, ser presenteada com as paisagens mais impressionantes, é um dos motivos que me faz viajar. E no entanto os dias que antecederam a minha chegada aqui foi foram os mais feios desta viagem… Não encontrei encantos na Sérvia, para além da simpatia das pessoas… Eu estava mesmo a precisar desta pequena pausa no topo do mundo e no meio de toda a beleza para me recompor.

31 dias depois de sair de casa e quase 15.000l km feitos é inacreditável que as “solas” da minha motita estão em melhor estado do que as minhas!
Eu ando para caramba, heim?
Eu desconfiei quando percebi que os meus pés escorregavam, estava a perder tracção. Então, depois de ver que estava sem “piso” nos meus pés, fui a correr confirmar como estavam os “pés” da minha bonequinha e… estão bem melhores que os meus, ainda têm muito piso! 😀

A minha bonequinha estava a precisar tanto de andar por estradas de montanha, depois de tantos quilómetros em estrada lisa! Está com os pneus “quadrados” de todo!
Hoje levou um acerto pelo parque Natural das Dolomiti. Cá está ela com o cartaz do parque!
Amanhã continuaremos a gastar os pneus dos lados pelos Alpes fora, até ao outro lado da Suíça!

Quando me escapo de todas as motos, todos os carros, roulotes, camiões e autocarros, quando apanho uma ruinha qualquer que o meu GPS desenha toda às curvas pelo monte acima… e a estrada é só minha…

E agora vou dormir que amanhã tenho um país e uma belíssima parte dos Alpes para atravessar!
Deixo-vos com uma imagem da minha Ninfa, algures no meio das Dolomiti. E como ela parece pequenina junto de tão grandiosa paisagem!
Até amanhã!

***** ***** ***** ***** *****

1 de setembro de 2015

In PASSEANDO PELA VIDA – a página

1220. Despedi-me das Dolomiti com um sol matinal revigorante, porque nada se assemelha a um amanhecer na montanha, quando as nuvens ainda vão baixas, elevadas pelo calor do sol que desperta. Paro a moto e fico a olhar. Ninguém entende o que me faz ficar ali na berma da estrada. Os carros contornam-me e seguem o seu caminho, acompanhados de pequenas buzinadelas, que parecem dizer “isso já estava ai ontem, qual é o espanto?”. Mas não é o sitio turístico, onde todos os autocarros param que me prende a atenção, aquele onde a montanha mais famosa parece fazer pose para a fotografia. É a montanha anónima, no meio de tantas outras, quando lhe bate o sol e a nuvem se afasta um pouco… gente, é apenas o momento único….

Cucu!
A Suíça recebeu-me com o maior temporal, todo o caminho, todo o dia… sinto-me meio miserável… 

***** ***** ***** ***** *****

2 de setembro de 2015

Visita a Colmar e ao amigo Miguel bacalhau com apresentação de sua nova Pan à minha bonequinha!

E o já tradicional Monte Velho a acompanhar um serão de muito paleio!

***** ***** ***** ***** *****

4 de setembro de 2015

1221. Besalú é uma cidadezinha tão bonita que parece irreal, com a sua ponte fortificada e todo o casco antíguo a deslumbrar quem lá passa. E eu tive de lá passar de novo, mesmo com um céu a ameaçar cair em cima de mim com toda a força. Andei por ali, por onde os turistas nem sempre andam, desci até ao rio, havia patos a brincar, e fiquei mais um pouco, ali sentada a sentir a presença do rio Fluvià, mesmo junto a mim. Não havia muitos turistas em cima da ponte, mas eu podia ouvi-los a tagarelar enquanto faziam poses ridículas para as fotos. Eu vou gostar sempre daquela terrinha..

***** ***** ***** ***** *****

5 de setembro de 2015

Chegada a Avis ao Travelers Event – Ruibip Bip

Chegada a Avis – Rogerio Carmo

Chegada a Avis – Rui Baltazar

Chegada a Avis – Rafael Martins

Chegada a Avis – Gorette Pelica Mauricio

***** ***** ***** ***** *****

6 de setembro de 2015

Cucu!
Cheguei a casa depois de cerca de 20.000km de estrada, depois de 19 países, 36 dias de viagem e muitas histórias e estórias para contar!
Agora chegou o tempo da quietude, de preparar o novo ano de trabalho e organizar apontamentos e memórias de viagem. Não haverá uma crónica detalhada, mas haverá certamente algo para guardar, reler, ver e consultar, quantas vezes se quiser, em suporte papel!
É só esperar que esta cabeça produza algo de interessante sobre tudo o que viveu.
Obrigada pela vossa companhia que foi preciosa e me foi aquecendo o coração, a cada dia que podia vir aqui contar e mostrar um pouco do que se estava a passar comigo!
Beijucas a todos, do fundo do coração!·.¸¸.·´¯`·. Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ

***** ***** ***** ***** *****

7 de setembro de 2015

Estou há horas a passar as fotos do pequeno portátil de viagem para o disco externo!
Depois vou estar horas a passar do disco externo para o pc cá de cada…
Valha-me Deus, quando vou poder ver finalmente as minhas fotos em tamanho graaande?

Cá estão todos os países por onde passei e que resumem um pouco do percurso que fiz, afinal!
O Liechtenstein aparece na mesma placa que a Suíça, que amigos que eles são!

Alemanha

Áustria

Bósnia e Herzegovina.

Croácia

Eslováquia

Eslovénia

Espanha

França

Itália


Letónia

Lituânia

Polónia

Portugal

República Checa

Roménia

E a porcaria da maquina fotográfica que começou a ter dificuldade em focar….

Rússia
onde não pude fotografar a placa do país mas encontrei uma placa de Leninegrado, o nome que eu tinha em mente desde miúda!!

Sérvia

Liechtenstein & Suíça

Ucrânia

Agora só resta esperar que toda a aventura se transforme num livro!

Beijucas

Fim

Anúncios

One thought on “8. Rússia 2015

  1. Olá amiga!
    Bem vinda de regresso a casa!
    Tudo foi bem na tua viagem! Fico Feliz!! 🙂

    Obrigada pelas noticias que foste dando em tempo real pois acompanhei-te pelo facebook!
    E é sempre bom voltar a ler e ver as fotos!

    E agora é aguardar pelo teu livro! Já estou curiosa!
    Reservo já o meu! 🙂

    Tudo de bom para Ti!!
    Beijinho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s