Pintar e pensar…

Quer a arte seja figurativa ou não, quer ela seja conceptual, minimal, figuração livre, bad-painting; quer ela apreenda o ready-made ou quer ela jogue com as técnicas da visualização, a obra pretende sempre mostrar o combate do artista contra a matéria que desafia qualquer inscrição no domínio do sentido.

Cada técnica ordena-se à volta do mesmo esquema. O instrumento técnico está incorporado aos materiais que trata, ele prolongou o olho, a mão, o gesto, sem grande dificuldade, sendo a finalidade do trabalho, da obra a mesma – a arte, sem ou com instrumento técnico…

Pintar como quem respira… uma necessidade incontrolável, indescritível… Como pode algo inanimado dar tanta vida, dialogar?

O negro contem a resposta a tudo o que quero dizer. Profundo, limpo, puro… como se fosse possível, tudo encaixa, tudo se harmoniza, suavemente com toda a agressividade que contem! Volume, espaço profundo. Vida …

A luz é o fundamental, tudo gira em seu redor.

(Como se pode permanecer eternamente na escuridão? Confundir pequenos clarões ilusórios com luz?)

Até o preto depende dela, tudo absorve e permanece negro intocável. Tudo conflui para o negro. O negro tudo possui… o negro permanece!

Transcendo-me… não consigo apanhar as pontas…

Olho para o que sai das minhas mãos e não me acho capaz de continuar… É tão longe, tão fora, tão único que tenho medo de me perder e não conseguir lá voltar!

Tenho saudades de mim, de quando as formas flúem sem sofrimentos…

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s