Passeando pelo Douro III

*
*

16 de Junho de 2012 – continuação

________________________________________

Seguimos pelo rio calmamente, de barriguinha cheia que mais se pode querer de melhor que apreciar a paisagem que passa ao nosso lado, com o solzinho a aconchegar o repouso a puxar para a “siesta”!

Passamos pelo sitio onde caiu a ponte de Entre-os Rios em 2001 e vimos o anjo de uma perspetiva completamente diferente…

(A queda da ponte)

A ponte nova!

Ou AS pontes novas! Não há fome que não dê em fartura e no lugar da que caiu, construíram-se 2 pois então!

Entretanto sai uma perspetiva do nosso barquinho, visto do “Seven” pela máquina do amigo Neves!

E eu ali, em pleno contraste com o branco do barco, a tirar as minhas fotos!

A paisagem merecia muitas fotos! Ali as vinhas são de vinho verde, delicioso nesta região, diga-se de passagem!

Os nossos companheiros de viagem puseram-se a andar lá para a frente, nós continuamos a passo de turista pelo rio acima!

A paisagem ficava mais selvagem, inabitada e linda!

O calor apertava e o champanhe voltou a sir fresquinho!

Quando chegamos à barragem do Carrapatelo.

De repente temos a sensação de que estamos a entrar numa grande garagem!

Muito grande mesmo!

As paredes são enormes e a gente tem a sensação de que é mesmo muito pequenina ali dentro!

A dada altura aquilo parecia uma cena do filme Madmax!

E a “porta” fechou-se e a gente começou a subir!

É curiosa a sensação de subir dentro de uma estrutura imensa em cima de todo um barco!

O povo deitava-se e deixava-se embalar!

Os vizinhos da frente punham música que ecoava por todo o lado e alegrava o ambiente, para nós e para quem estava lá em cima a apreciar o momento!

Num instante estávamos cá em cima a trocar taças de champanhe com o senhor “controlador dos portões”!

E seguimos mais um pouco rio acima

Um dia gostava de subir todo o Douro! As paisagens valem a pena!

Lá fomos fazendo cenas tipo Titanic para o barco do vizinho!

E eu não conseguia sair da frente do barco a apreciar as paisagens que se sucediam!

Voltei a escolher mais uma série de casas para viver… se me saísse o Euro milhões… se eu jogasse…

Um motard-aquático (será assim que se chama?) aproveitava a esteira do nosso barco para se divertir e dar uns saltos.

O nosso Capitão deu-lhe um pouco de divertimento com uma aceleradela, que ele agradeceu no fim! Simpático!

Nesta altura já navegávamos todos a par, o que é uma experiencia gira de apreciar!

Para logo a seguir desembarcarmos no ancoradouro de Caldas de Aregos.

Devo dizer que o nosso Capitão manobra e “estaciona” a Nº1 ainda melhor e com mais perícia do que a própria moto (a sua nº2)!

Os amigos dos barcos são como os amigos das motos, ajudam-se, convivem, fazem a festa, todos juntos e cheios de alegria!

Toda a gente é desenrascada!

E o Carlos também! Lá foi ele brincar mais um pouco com o barquinho de papel!

Nós preferimos o champanhe!

Entretanto vieram trazer o jantar! Não, não foi o Filipe, ele apenas posou para a foto!

O Carlos brincava de barquinho com a Paula, às voltas que até a máquina ficou tonta!

Depois comemos a sobremesa, cerejas de Resende ótimas! É, a gente às vezes faz as coisas ao contrário, primeiro a fruta e depois o leitão!

E lá deixamos as 3 beldades para irmos montar o ambiente de jantar numa esplanada, com direito a cerveja a metro e tudo!

Há fotos que me fazem ter, de repente, a ideia da minha dimensão! Puxa, como eu sou grande!

Os trinchadores oficiais trataram de partir e repartir os porquinhos enquanto a gente se refrescava com a cerveja!

Que bem que soube! No momento eu achei que não iria comer leitão nem beber cerveja durante muito tempo… mas agora ao ver as fotos… já ia!

Foi um jantar espetacular!

Com gente espetacular!

E os tais patos bravos que não saem da beira da gente estavam lá também!

Acho que os patos também gostam de leitão!

E fomos acabar a noite no “Seven” do amigo Neves.

Com direito a fogo e tudo!

Depois foi nanar que isto de andar de barco a beber mais champanhe ao quilómetro, do que ele bebe de combustível, cansa um bocado o corpo!

(continuará ainda…)

Anúncios

3 thoughts on “Passeando pelo Douro III

  1. Pois, BELO PASSEIO!!! Nem enjoei nem nada… pensei que íamos comer uma bela fritada de mistura de peixes de rio… afinal foi leitão…mas gostei na mesma… e champanhe … e cerveja… e cerejas…pois fizeram muito bem, a fruta deve comer-se no princípio da refeição… Gostei muito do passeio… agora vou descansar pra camita… obrigada e BUONA NOTTE!! ❤

  2. Olá Gracinda!
    Este pedaço de crónica está Excelente!!
    Divertida q.b. pois uns quantos sorrisos pus na cara.
    Sim que és “grande” claro, se te comparo comigo! eheheh… 😀

    Aguardo pelo que falta da crónica!!
    Beijinho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s