41 – Passeando até à Escócia – De Avila até Avis!

2 de Setembro de 2011

Chegara a etapa de entrada no meu país!
Podia ver pelo mapa como estava perto, nada de milhares de quilómetros para voltar, o que me permitiria passear um pouco e chegar a Avis ainda de dia.

Avila… eu tinha estado ali um mês antes e não foi inocentemente que la voltei. Eu simplesmente precisava de tempo comigo própria para passear por ali e dias antes não o tivera!

Avila, uma cidade rodeada por uma muralha românica impressionante com cerca de 2,5km de extensão! A cidade de Santa Teresa de Avila!

Fiquei hospedada numa casinha de turismo rural muito gira, à entrada da cidade, que ficou toda por minha conta. O dono da casa, que tem um restaurante mais à frente, deu-me uma série de livrinhos com toda a informação sobre a cidade e a província com o seu nome.

Claro que essas informações acabaram por me fazer querer voltar ali, mais uma vez um dia destes, para catar o que não conseguiria catar naquele dia! E por isso pode surgir a qualquer momento um “Passeando por Avila!” na minha vida pois então!

A cidade tem 2 portas voltadas para a zona antiga da cidade, as portas de Alcazar e de S. Vicente. A Puerta del Alcazar é a principal e está junto à Plaza Mayor

A muralha é impressionante, começada a construir no sec XI rodeia a cidade antiga e mantem-se hoje como foi construída na época, o que a torna única, a maior e a melhor conservada na Europa! Tem 2516 metros de perímetro, 87 torreões e 9 portas.

Fora das muralhas existem diversas construções religiosas espantosas, aliás, Avila é a cidade com mais construções românicas e góticas em relação ao número de habitantes! A Basílica de San Vicente, uma construção iniciada em estilo românico e concluída já em estilo gótico…

A igreja é espantosa e é tão imponente como uma catedral, na verdade é a segunda maior da cidade depois da catedral!

A cúpula gótica, no cruzamento da nave central com os braços laterais, é espantosa!

E logo ali em baixo, fica o memorial dos 3 irmãos mártires que dão o nome à basílica: S. Vicente, Santa Sabina e Santa Cristeta.

São Vicente, Santa Sabina e Santa Cristeta foram barbaramente torturados, decepados os seus membros e as cabeças esmagadas, por volta do ano 303 por um imperador romano, quando não era aceite a religião cristã e os crentes eram perseguidos… Diz-se que estes 3 mártires eram originários de Évora, só não sei se é a nossa!

O memorial/sepulcro narra episódios da vida de Cristo em pequenas esculturas e relevos.

A basílica é muito bonita e eu andava para a visitar há anos… cada vez que passava à porta e deixava para a vez seguinte!

Mais à frente fica la Puerta de San Vicente

E fui visitar a Catedral!
Um mês antes eu quisera visita-la, mas não estava sozinha e tive de deixar para outra vez. Não podia ir gastar uma hora a visitar a catedral e deixar o meu colega de viagem, de capacete na cabeça, junto à moto à minha espera! :-S

Mas desta vez eu era livre!

Havia uma feira medieval em toda a zona, o que tornou aquela visita ainda mais especial!

A Catedral del Salvador de Ávila é um edifício espantoso, templo e fortificação! É considerada a primeira construção gótica do país!

É curiosa a pedra usada na sua construção, cheia de “manchas” de cor, que resulta muna mescla de cinzas e castanhos avermelhados, bizarra!

Avila é a cidade de Santa Teresa e pensei que a catedral tinha um altar consagrado a ela, à semelhanças de outras igrejas da cidade, mas parece que afinal é de Santa Catalina!

O claustro está protegido por redes! Acho que devem ser os pombos que andam por ali a fazer bosta!

Espelhos nas paredes do claustro!

E cá fora era a feira! Era cedo e estavam a montar os estaminés.

Junto à muralha há mesmo uma estátua de santa Teresa!

E ali ao lado fica a praça de Santa Teresa com a Igreja de San Pedro ao fundo.

Mais uma igreja românica notável!

Andei por ali a passear, aproveitando o sol que estava radioso!

A feira medieval estendia-se para fora das muralhas, com tendas e animais e tudo!

Os burrinhos eram tão fofinhos!

Achei piada à frase mas nem era verdade que eu tivesse ganas de chegar a casa!!!

Mas tive de me por a andar! Não sem antes passar pe’ Los Cuatro Postes, um pequeno santuário, a 1,5 quilômetros da cidade, que marca o lugar onde o tio de Santa Teresa a impediu de fugir, aos sete anos com seu irmão, em busca do martírio na batalha contra os mouros.
Este ponto é privilegiado pela panorâmica que permite sobre a cidade!

Ali ao lado um pintor montava o seu cavalete para pintar.

Lá em baixo, a cidade que lhe servia de modelo

Uma camioneta de chinocas chegara entretanto e eles conseguiram meter-se todos dentro do espaço dos Cuatro Postes!

Continuei o meu caminho passando por Bejar, uma cidade que é mais bonita vista de fora do que de dentro!

E fui almoçar a Placência, mais uma cidade surpreendente, que já visitei noutros momentos, mas que tem sempre muito para mostrar!

Almocei na Plaza Mayor, onde fica a Casa Consistorial, aquela casa renascentista (ok, reconstruida) que tem um moçoilo no telhado a martelar as horas!

Lá está o tipo, de martelo em punho, a dar horas lá em cima!

E enchi a barriga de coisas boas, que em Espanha eu nunca passo fome!

Ali ao lado, depois de um percurso por ruínhas estreitinhas, fica a catedral nova.

Um edifício que junta diversos estilos pela sua história de morosa construção: Estilos Gótico, Renascentista, com elementos decorativos Barrocos.

Estava fechada, mas eu já a visitei antes, é espantosa e comunica pelo interior com a catedral velha!

Voltei à estrada a caminho do meu País…

Ao longe a cidade é imponente!

Ainda passei por Cáceres, mas uma nuvem imensa pousava sobre tudo e ameaçava encharcar tudo a qualquer momento e foi o que aconteceu! Atravessei uma tromba de água espantosa que nem me deixava ver direito a estrada!

E foi numa corrida bem molhada que cheguei a Badajoz, onde não entrei, apenas apreciei de longe. Tenho de lá ir um dia só para a visitar!

Segui para Avis, contornando mais uma tromba de água que, felizmente, não tive de atravessar!

Para quem esperava apanhar toda a chuva do mundo na Escócia, a Espanha foi a surpresa nessa área!

Fui muito bem recebida em Avis por amigos como o Rui Baltazar que me disponibilizou um belo ninho para eu descansar os ossos! E tive direito a, ainda dentro do limbo da minha viagem, dar uma voltinha pelas viagens dos outros!

Fim do 28º dia de viagem…

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s