34. Passeando por caminhos Celtas – The Chelsea Football Club Stadium!…

24 de agosto de 2014 – continuando

Já que estava numa maré de futebol, peguei na moto e vim por ali abaixo. Aquele dia foi feito disso mesmo, de ir e vir sem nexo aparente, senão apenas uma sequência de sítios que fui decidindo ver, uns depois dos outros, sem qualquer planeamento prévio!

E o que eu tinha em mente ficava por trás de casas, hotéis e ruelas insuspeitas, bem no coração da cidade!

Eu tinha passado ali no dia anterior e todos os acessos às ruas residenciais estavam barrados com grades de metal. Percebi que havia jogo e a ideia devia ser impedir o estacionamento por todos os lados e recantos junto das casas de quem ali vive!

Mas isso fora no dia anterior, porque naquele dia, ninguém diria que estivera ali uma bagunça! Tudo estava calmo e não tive qualquer dificuldade em estacionar a moto, aliás o recinto é pequeno, rodeado por casas mas tem um parque para motos e bicicletas!

Havia motos escondidas atrás da casinhota das bicicletas, mas eu nunca gosto de esconder a minha motita! Gosto de a ver à primeira olhadela e que toda a gente a veja, assim tenho a certeza que ninguém lhe vai fazer cocegas na barriga sem o meu conhecimento!

E fui visitar mais um estádio! Um estádio de campeões!

Depois de visitar estádios como o Manchester e o Wembley, cheios de espaço envolvente e interior, o Chelsea fica apertado no meio da cidade!

Andei por ali a catar a redondeza pelos túneis de entrada para o campo que parecia não ter espaço para caber…

Mas há espaço para tudo! O museu, cheio de troféus e camisolas da equipa ao longo dos tempos, mas também de grandes nomes que ali passaram.

Até tive quem me tirasse uma foto ali no meio das vitrinas dos troféus!

E então apareceu o nosso guia, um senhor que contava tantas histórias sobre futebol, jogadores, visitantes, grandes campeonatos e troféus míticos! Muito interessante, numa visita cheia de interesse!

Também ali entraria em diversos momentos no campo, quer pela bancada que depois até ao relvado!

“Eu não podia passar sem ir ali!
O estádio é muito antigo, foi fundado no início do século XX e mantém muito do original. Precisava de crescer como espaço relvado e bancada, mas não tem como, pois está situado no meio da cidade, rodeado de habitações e comércio. Uma luta que vem travando para tentar expandir-se sem mudar de local, mas é muito difícil! Foi uma sensação entrar ali. O guia, um senhor com alguma idade, era excelente e, quando perguntou a nacionalidade de cada uma das pessoas que compunham o grupo de visita, parou em mim, quando eu disse que era portuguesa. Fez questão de me fazer sentar na cadeira do Mourinho, no espaço destinado aos técnicos. Foi muito bonita a visita a um estádio mítico que exibe uma camisola do Eusébio, nos balneários dos clubes visitantes, que ele deixou de uma das vezes que lá jogou. Foi uma sensação ouvir o guia explicar que ele foi um dos melhores jogadores de sempre. As pessoas olharam para mim, a única portuguesa presente…”

(in Passeando pela vida – a página)

E experimentei também sentar-me na mesa onde os técnicos e jogadores falam nas conferências de imprensa!

O guia contava histórias de cada jogador dono de cada camisola exposta nos balneários

A camisola do Eusébio…

Embora o estádio seja antigo e não possa ser remodelado quanto à dimensão e espaço, tem boas condições lá por dentro.

Então o guia dividiu o grupo de visitantes em 2 filas, estrangeiros para a esquerda, britânicos para a direita. Depois ligou a o som e nos entramos no campo ao som do barulho de um estádio cheio de adeptos num dia de grande jogo! Foi uma sensação forte, apenas serenada por uma visão das bancadas vazias.

Logo ali ficam os lugares da equipa técnica, o senhor não deixou ninguém sentar-se no 2º lugar, voltou-se para mim e disse-me que me sentasse eu ali, que aquele lugar era para mim!

Sentei-me. “Esse é o lugar do Mourinho!” explicou ele quando me sentei.

E a visão que o Mourinho tem sobre o relvado será parecida com esta, portanto!

Toda a gente se quis sentar nos lugares especiais dos técnicos.

Houve mesmo quem não quisesse sair de lá e nos deixasse à espera!

Uma última olhada para o campo que parece pequeno demais mas que alberga um grande clube!

Cá fora há Mourinho por todo o lado e até há um diploma com a assinatura dele para quem visita o campo. Já nem sei o que fiz ao meu, mas deve andar aqui por casa algures!

E acabou-se a minha aventura futebolística por esta viagem! Para quem não aprecia futebol até que me dediquei um bocado à exploração da coisa!

E a cidade tem tantos encantos que fui andando por ela, observando pormenores que me fascinaram. Não sou muito de esperar para ver render a guarda, ou ir ao palácio tal porque é o que se faz em Londres! Sou mais do ir andando e ir vendo, descobrindo a cidade!

E murais e pintura urbana sempre me agarram pelo coração!

Paredes e muros, placards e cercas metálicas, pareciam telas gigantes…

E o transito a completar o quadro, com os famosos táxis negros!

A caminho de um recanto mítico de Londres!

O Soho!

A zona tornou-se famosa pelo ambiente nocturno, com direito a sex shops e ambiente cinematográfico. Hoje é uma zona onde se passeia por ruas pitorescas e acolhedoras.

Não sei porquê, mas foi por ali que as pessoas mais olharam para mim! enquanto eu olhava para as paredes, para os enfeites suspensos, sentia a curiosidade das pessoas que olhavam para mim!

A zona é mesmo simpática e cheia de curiosidades, por isso pouco me ralei com que olhava!

Impossível não gostar de passear por ali!

Então deparei-me com uma casa que vendia coisas de comer que mais pareciam de decoração!

Eu sei que se fazem bolos com as mais diversas configurações e decorações, mas aquilo não pareciam mesmo nada bolos!

Eu diria uma casa de decoração, uma florista, daquelas que fazem decorações em flores!
Mas não, aquilo come-se tudo!

Cada rua tem a sua decoração ao estilo de recepção!

Algumas bem originais e com efeitos tridimensionais!

E perdi-me me mais uma loja de materiais de pintura, que os ingleses têm muita variedade e qualidade na área!

E fui jantar, mais uma vez, ao Ace Café, para não variar, que lá há boa cerveja, coisa não muito comum pela cidade!

Recantos do espaço, no primeiro andar!

A loja, ao lado do longo balcão onde se serve comidinha e boa cerveja.

Estavam a preparar uma exposição de carros e a multidão estava a cumular-se por todos os lados, até ao outro lado da rua.

Como eu não aprecio de todo coisas com 4 rodas, lá me fui embora!

No dia seguinte choveria, eu vi na televisão, por isso o que eu aproveitei naquele dia, não se repetiria no seguinte… até ao sul da ilha…

E foi o fim do 27 dia de viagem

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s