10. Marrocos 2012 – E caiu neve no Atlas!

5 de Abril de 2012

O dia acordou solarengo! Oh que felicidade, depois de tanta molha!
A Magnífica acordou aninhada! Oh que raio de azar!

Já no dia anterior se tinha comentado que ela tinha o pneu de trás baixo, mas como se encheu e ficou bem, pensei que fosse apenas uma questão de descuido na preparação para a viagem!
Mas não, naquele dia ela voltou a aninhar!

Nem quis saber, fui tomar o pequeno-almoço e depois teria que resolver a coisa…

A Riad era mesmo confortável e o ambiente agradável, já que lá fora estava sol, mas um frio de rachar!

Voltei a dar uma volta pela casa para registar os recantos para memória futura!

Curioso o pormenor decorativo que me fez lembrar um presépio! Era, na realidade, uma tendinha berbere com os nómadas lá dentro e tudo!

O nosso garçon privado posou com o Tonica e a Ângela para a fotografia!

E finalmente lá fomos comer, que isto de viajar faz uma fome dos diabos!

O Luis ainda suspirava pelo sumo de Marrakech, nenhum outro se lhe comparava!

E então lá fomos ver o que a minha motita queria! Eu já estava a planear continuar a viagem à pendura de alguém se tivesse de mandar a moto pela assistência em viagem para qualquer lado!

Logo desta vez que eu não levei o spray para furos é que ela aninhou! Mas há sempre alguém que tenha o que é preciso! Grande Rui

Mas ela não aceitou a spray, pouco ou nenhum entrou!
Acho é que ela queria festinhas de menino e lá foi o Tonica fazer-lhe a vontade!

Mas nada a convencia e, quando voltou a pôr o pezinho no chão, estava mesmo em baixo!

Então acabaram-se os mimos, toca a andar e rolar assim mesmo até ao centro da localidade para ver se se resolvia a coisa, nada de mimos!

Enquanto esperava pelos outros na rua, olhei para o lado e, lá ao fundo, por trás da Riad, o monte estava todo nevado! Que coisa mais linda!

Vá lá menina, tem paciência, põe-te boa que eu quero ver aquilo melhor!

Fomos ao senhor dos pneus, ele deu-lhe banho ao sapato, mas não se via borbulhar! Não se vendo furo, como se pode remendar?

Bem se não há furo, tanto melhor! Toca a encher e a seguir viagem para ver aquele imenso monte nevado!

Na realidade a gente andava por ali pois ía à procura das Gorges d’Aouli, que o nosso garçon da Riad tinha dito que eram ali perto, e que valiam a pena, e que tinham até à beira uma aldeia fantasma, pois em tempos existira ali uma mina de chumbo explorada por franceses e tal, mas que se tinham ido embora e aquilo estava abandonado!

Tudo bem, a gente lá foi, mas eu ia mesmo preocupada com o meu pneu de trás, é que não sabendo por onde o ar se escapara, podia voltar a faze-lo e com aquele piso maravilha, cheio de pedaços de rua todos lixados pelas correntes de agua que passaram ali e deixaram tudo esburacado e cheio de pedregulhos…

Mas a minha Magnífica nunca se negou! Grande moto!

E acho que valeu bem o percurso, pois exploramos mais um pedaço improvável daquele país!

E claro, com receio do pneu ou sem ele, eu não deixei de tirar as minhas fotos! 😉

E a minha motita não fez má figura junto das GS, heim?

Nem a minha, nem nenhuma, entenda-se!

A aldeia, não a vimos! Mas também como se poderia ver um fantasma? Eu nunca vi nenhum! E também não foi naquele dia que vi! eheheh

Por isso voltamos para trás, curioso que no regresso a estrada nunca parece em tão mau estado e o percurso nunca parece tão longo!

E até o receio do pneu se foi! Pois se se aguentou na ida, também não seria na vinda que não se aguentaria! E até me esqueci dele!

Valeu a pena ir até ali para ver o contraste espantoso entre o penhasco e o céu espantosamente azul!

Quando os burros ficam velhos e não podem mais trabalhar eles abandonam-nos no pasto (se se pode chamar assim) e eles continuam a sua vida calmamente por ali sem se terem de esforçar mais. Deve ser por isso que a gente encontra tantos à solta por todo o lado que passamos!

E de repente o Atlas nevado estava ali mesmo à nossa frente de novo! Midelt fica na junção entre o Médio e o Alto Atlas e ali estava ele deslumbrante!

Ui, as fotos que eu lhe tirei, e as que teria tirado, se não tivesse toda a gente à minha espera! Eheheh

Como não podia estar tanto frio na noite anterior! Nevou ali em cima, tão pertinho!

Então parou tudo para tirar fotografias àquele espetáculo e às motos!

E não apetecia ir embora! Apetecia-me aproximar e ver a montanha mais de perto!

Mas lá seguimos viagem, que Marrocos não é feito só de montanhas nevadas!

Mas que elas são deslumbrantes, são!

Atravessamos Midelt mas, aparte a montanha cheia de neve e a Riad giríssima, não havia mais nada para ver ali!

Claro que, muitos quilómetros depois, ainda se podia ver por entre as nuvens o espetáculo grandioso que se confundia com elas!

E quando a neve se vai há sempre coisinhas giras para fotografar na berma da estrada! Oh que fofo!

E a paisagem voltava a mudar completamente!

(e vai continuar!)

Anúncios