25 – Passeando pelo Norte de Espanha – Avila, Salamanca… casa…

21 de Julho de 2011

Passamos o passo de Guadarrama, um dos pontos mais altos da Serra de Guadarrama, onde fica o Alto del León.

Lembro-me que a primeira vez que ali passei, há muitos anos, havia neve e eu fiquei tão assustada que parei e não tinha coragem nem de seguir para a frente nem de voltar para trás! Uma parte de mim dizia “volta” outra dizia “segue”. Então vieram carros no sentido contrário e eu parada na berma em plena subida, olhei para os seus pneus! Não traziam correntes! Enchi-me de coragem e segui. A neve estava apenas acumulada nas bermas e nas zonas onde os carros não haviam passado, fui fazendo pontaria pelos carreiros limpos e fui relaxando, pois a motita não fugia! Lembro-me de ir a conduzir e a rir-me à gargalhada, com a excitação de passar pelo meio da neve sem escorregar, com uma paisagem de cortar a respiração em meu redor!

E chegamos a Avila, uma cidade encantadora que se pode avistar de Los Cuatro Postes, um pequeno santuário ligado a Santa Teresa de Avila.

E lá estava ela, com as suas imensas muralhas!

Eu sabia que não iria ver muito da cidade. Seria para dar uma volta, ver as coisas por alto e decidi naquele momento que, na viagem seguinte que começaria dali a dias, incluiria Avila no meu caminho!

Aquela muralha medieval tem 2,5 km de extensão e de 20 em 20 metros tem uma torre, o que faz 88 torres ao todo!

E fui vendo tudo pelo exterior!

Não foi desta vez, nem da seguinte, que fiquei o tempo necessário na cidade para explorar as muralhas, mas cada coisa a seu tempo!

Aquilo tem uns quilómetros de encanto para passear!

O Jaky nem descia da moto para tirar fotografias, apenas se retorcia e fotografava! Eheheheh

A Basílica de San Vicente era um dos locais a visitar na próxima passagem na cidade, sem dúvida!

Logo ali fica la Puerta de San Vicente, que leva à catedral, mais à frente, no interior da muralha.

A Catedral del Salvador de Ávila é extraordinária e é considerada a primeira catedral gótica do país! E eu não visitaria naquele dia…

Paga-se para visitar e não justificaria pagar para a visitar a correr, por isso ficou também na minha agenda para a próxima visita à cidade!

Ainda dei uma pequena voltinha pelas ruelas circundantes.

E mais à frente encontrei o porco, que tinha ar de ser o namorado da nossa Porca de Murça!

Os bordados de pedra dos topos da catedral podiam-se ver por cima das casas.

E fui embora, que o Jaky ficara boa parte do tempo agarrado à moto enquanto eu serandava por ali…

O que eu catei um mês mais tarde aparece na minha crónica da Escócia em:

https://gracindaramos.wordpress.com/2011/11/19/41-passeando-ate-a-escocia-de-avila-ate-avis/

E seguimos para Salamanca, porque era preciso comer qualquer coisa e comer numa cidade linda é sempre mais inspirador!

A Plaza Mayor de Salamanca foi considerada a maior da Europa em 2005.

Logo ali ao lado começam as ruelas com esplanadas e era para aí que a gente tinha de ir para comer.

Não faltariam oportunidades para visitar a cidade, pelo menos para mim que passo por lá com alguma regularidade!

Enchemos a barriga e seguimos para Portugal!

Era a primeira vez em muitos anos e muitas viagens que eu não sentia nostalgia ao encerrar uma viagem! Era também a primeira vez que eu chegava a casa para esperar um curto período de tempo e voltar a partir! Era ainda a primeira vez na minha vida que, a uma viagem “pequena”, em quilómetros e distância, se seguiria uma longa e distante!

Por isso voltar ao meu país com tanta coisa por ver, numa viagem que ficou demasiado cara para o percurso que foi, significou o início de algo maior e mais à minha medida!

10 dias depois, no dia 6 de Agosto de 2011, eu estava a partir para uma viagem de 28 dias até à Escócia!

FIM